Como melhorar sua oratória com técnicas de respiração

A sensação de falta de ar ao falar é algo comum. Existem pessoas que sentem dificuldades na hora de concluir frases devido a essa questão – e, nessas horas o problema geralmente é o mesmo: a respiração não está correta.

Muito disso acontece devido à ansiedade ou estresse, que podem ser sentidos na hora de se apresentar em público e faz com que palavras e frases sejam “cortadas” ao meio para que a pessoa possa parar por alguns segundos, encher o seu pulmão de ar e voltar a falar. “Quando isso acontece é visível que algo não está certo. Quando uma pessoa está discursando ou até mesmo cantando e precisa parar em ‘horas erradas’ para respirar, existe alguma coisa que precisa ser corrigida”, comenta Eraldo Melo, empresário que já ministrou palestras motivacionais para milhares de pessoas.

Além da ansiedade, nervosismo e estresse, outro problema comum que abrange essa questão é o fato de a pessoa já ter se acostumado a respirar de forma errada, seja inspirando menos ar do que poderia, seja puxando o ar pela boca. “Apesar de o ato de respirar ser algo automático para o ser humano, ele também muda de acordo com manias e com o estado psicológico da pessoa. Não é a toa que quando se está nervoso, respira-se mais pela boca. É algo que o próprio organismo faz como mecanismo de defesa, para não faltar ar – e isso prejudica na hora de fazer um bom discurso”, explica Melo.

Para pessoas que sofrem com esses problemas, como sentir a sensação de ter pouco ar no pulmão na hora de falar pequenas frases ou de estar falando e ter que puxar o ar de forma brusca repetidamente a fim de aliviar a sensação de que falta oxigênio, existe uma solução: aprendizagem, prática e dedicação.

O primeiro passo para melhorar a respiração é: observe o modo que você respira. Ao puxar o ar, o que enche mais, o seu abdômen ou o seu peito? “Quando o peito fica mais ‘inchado’, é sinal de que você usa mais a parte superior dos pulmões, não utilizando toda a capacidade do sistema respiratório”, esclarece o palestrante, que hoje é dono de cinco empresas no ramo de prestações de serviços.

A respiração ideal acontece quando todo o pulmão é preenchido pelo ar – e, quando isso acontece, há a movimentação do diafragma, que projeta ligeiramente a barriga. “Para reaprender a respirar dessa forma, uma dica é deitar-se e passar alguns minutos tentando mexer o mínimo do peito e o máximo dos pulmões. Quanto mais fundo você respirar, mais o ar vai até o fim dos seus pulmões – e mais você vai se sentir relaxado, parecendo que estão ‘desenferrujando’ os pulmões”, sugere.

O segundo passo para melhorar a respiração é: faça exercícios aeróbicos, como caminhadas e corridas leves, - isso faz com que o seu pulmão se ‘exercite’ e se expanda, abrindo mais espaço para a entrada de ar. “Da mesma forma que é importante fazer exercícios físicos para ‘manter a forma’, também é importante afastar a rigidez e falta de elasticidade do pulmão – e isso muito disso é conquistado por meio de exercícios aeróbicos”, ressalta o empreendedor, que já inspirou milhares de pessoas com suas palestras motivacionais.

O terceiro passo é: lembre-se que respirar é importante. Pessoas que apenas despojam informações sem respirar no meio, chegam ao fim das frases se atropelando e comendo palavras. “Nesse caso, uma dica é ler em voz alta, já que isso ajuda na reeducação da respiração e da fala. Observe os sinais de pausa e aproveite-os para adequar a sua respiração. Treinando dessa forma, ao falar em um discurso, já estará mais adaptado às pausas e ritmo de fala”, conclui o especialista.

Fonte: http://www.administradores.com.br/

Voltar